[:pb]CAPOEIRA FALA BEM?[:en]CAPOEIRA: VIOLENCE, SEX AND GOSSIP[:]

[:pb]

A CAPOEIRA E A NOVA MENTALIDADE

 

 

 

 

 

Algumas questões provocam verdadeiros escândalos na Capoeira.

Em nosso último artigo: “Capoeira: Sexo, Violência e Fofoca” debatemos sobre como a violência, o apelo sexual e a fofoca são fontes geradoras de polêmicas a ponto de direcionarem as conversas presenciais ou virtuais continuamente para estes mesmos temas.

Terminamos com esta colocação: “Diariamente são postados centenas de vídeos e textos sobre cultura, política, corpo e outros assuntos super interessantes à Capoeira. No entanto, vídeos escandalosos e mensagens de fofoca fazem mais sucesso.

Basta postar algo como: “Tem muito capoeirista comprando seu título de Mestre” ou “Olhe o trabalho de beltrano: isso não é Capoeira!” para se ganhar uma visibilidade baseada na fofoca. Quem nunca viu um mestre de Capoeira que passa a maior parte do seu tempo falando mal do trabalho dos outros?”.

Prometemos outro artigo que refletisse mais sobre este tema. Bom, aqui está.

A fofoca é uma tradição?

 

Este é um velho ditado, que os antigos já dizia

Na boca de quem não presta, quem é bom não tem valia

Sei que tu fala de mim, sei que tu mesmo falou

Caveira quem te matou, foi a língua, meu senhor

Seja na Angola, na Regional, na Regi-angola ou na Angola-anal, é impressionante a fofocaria entre nós, capoeiristas.

É um hábito passado de geração em geração no seio de nossa comunidade, transmitindo valores e costumes que fazem parte da nossa identidade.

Mas como essa cultura se propaga?

Bom, tudo de bom e de ruim que existe em nosso meio só se mantém vivo caso os mais novos reproduzam o que aprenderam dos mais velhos. Quem está começando vai recebendo informações de como deve se comportar, além de aprender as pernadas, os toque e tudo o mais, certo?!

Caso encontre um ambiente onde os mais antigos estão o tempo todo difamando uns aos outros, sua tendência vai ser reproduzir este comportamento para ser aceito no ambiente.

Te convido para refletirmos juntos.

Todos já vimos mestres de referência estarem em um mesmo evento como convidados e um fazer questão de falar mal do outro, com frases do tipo:

“Este pseudo-capoeira não é um verdadeiro capoeirista!” (Pode-se trocar o “pseudo-capoeira” por “pseudo-angoleiro”, “pseudo-regional”, “pseudo-mestre” ou qualquer outra denominação).

Ou

“Fulano comprou seu título”

“Fulano está formando capoeiristas por dinheiro”

Agora, me diga quantas vezes você já ouviu frases como essa:

“Mestre Fulano é excelente no que faz! Eu reconheço que ele trabalha super bem e já apliquei um monte de coisas que ele ensinou com ótimos resultados!”

ou

“Gente, descobri como cadastrar projetos de Capoeira neste edital de patrocínio do governo. Tem um passo-a-passo que facilita bastante! Vou ensinar para vocês poderem cadastrar os seus!”

ou

“Peguei a manha de usar o facebook para conseguir divulgar melhor minhas aulas, vou ensinar a vocês como é”

Muito dificilmente.

Os encontros, mesas-redondas e debates muitas vezes se perdem em ti-ti-tis infrutíferos em que os que estão presentes falam mal dos que não estão, no lugar de debaterem assuntos específicos sobre nossa realidade profissional, trocarem conselhos, conhecimentos e experiências.

Quando a maré sobe, todos os barcos sobem junto

O problema desta cultura da fofoca é que estamos todos no mesmo mar.

Não importa se você gosta ou não do estilo do outro cara, ele é capoeira igual a você. Ele representa a classe, portanto te representa. Quando as pessoas na rua olham para os dois, vêem a mesma coisa. Os gestores públicos também. Até aqueles seus familiares que não entendem muito de Capoeira acham que vocês fazem a mesma coisa.

Pro bem ou pro mal, estamos juntos nesse mar.

Quando a maré sobe, todos os barcos sobem junto. Igualmente, quando a maré baixa, todos os barcos baixam junto.

E o que você está fazendo?

A postura de cada capoeirista influencia diretamente na maré. Quando você fala bem e reconhece o valor de outro capoeirista, especialmente de um que não seja seu amigo, você está fortalecendo a Capoeira e contribuindo para a alta da maré.

Quando você segue na tradição da fofoca, repetindo os velhos chavões passados de geração em geração, você contribui para a baixa da maré.

Não deixe o sistema te enganar! A fofoca te prejudica

Falar mal pode ser prejudicial ao outro, mas nem sempre é. Muitas vezes o marketing negativo é exatamente o que o outro deseja. É assim que políticos escandalosamente racistas ou homofóbicos ganham notoriedade.

Agora, o que é certo é que fofocar faz mal para quem fofoca, por 3 motivos:

Em primeiro lugar, você está parando a sua vida para falar mal do outro, no lugar de estar trabalhando para o seu próprio avanço.

Em segundo lugar, se o outro faz parte da mesma coisa que você, ele representa uma parte da sua profissão. Falando mal dele, você está falando mal de si próprio.

Finalmente, ao falar mal do outro, você serve à lógica de um sistema de poder que só quer nos dividir.

Imagine como seria perigosa e revolucionária uma classe unida de dançarinos-lutadores-artistas de diversas idades e sexos, com milhões de praticantes espalhados em centenas de países!

Seríamos invencíveis! Um problema e tanto para o sistema!

Não confunda fofoca com denúncia

 

Se você está vendo uma postura de machismo, racismo, homofobia ou qualquer tipo de opressão, você deve publicar, gritar e denunciar. Você está expondo um assunto geralmente silenciado e que deve ser levado à tona.

Isso é diferente de falar mal, caluniar, difamar, julgar moralmente, rotular precipitadamente ou ironizar sem pesquisar.

É fácil fazer o teste para saber a diferença: na próxima vez em que você for falar, insinuar ou publicar algo sobre alguém, passe a informação nas 3 peneiras:

– A peneira da VERDADE: certifique-se de que o que está falando seja verdadeiro. Confira os fatos. Converse com todos os lados envolvidos. Averigue.

– A peneira da BONDADE: o que você vai falar faz bem para você ou para alguém? Faz bem para a coletividade? Faz bem para quem escuta?

– A peneira da NECESSIDADE: é realmente necessário passar para a frente o que você vai dizer? Vai ajudar a resolver alguma coisa? É importante para os demais?

Passando na peneira

Qualquer nicho profissional, quando se une, ganha força e cresce em qualidade. Não importa se são operários, médicos ou estivadores, a união fortalece a classe. Com a Capoeira não é diferente.

Se unir é saudável, inteligente e estratégico! É preciso respeitar quem trabalha com o que você trabalha. É preciso valorizar quem trabalha de forma diferente da sua. É preciso ajudar os que estão começando.

É preciso fortalecer os que estão sofrendo na maré baixa.

Quando uns estão ajudando e valorizando os outros o movimento se fortalece e a maré vai subindo e subindo, fazendo com que todos os barcos subam juntos.

3 dicas para melhorar a maré

Compare-se com sabedoria

A vontade de medir os outros pela própria régua moral é tentadora. Quando bater esta vontade de julgar os outros, experimente comparar o seu passado com o seu presente. Você sempre agiu da forma como age hoje? Você nunca errou?

Use as redes sociais para trabalhar
As redes sociais são ferramenta de trabalho. Se você passa seu tempo de produção falando mal da vida alheia no facebook, está perdendo tempo, energia e dinheiro.

Pense em você mais do que nos outros
Se você está revoltado e cansado “disso tudo aí que  ‘essas’ pessoas estão fazendo” procure olhar para dentro do seu coração, da sua alma e do seu bolso. São três lugares que você não quer vazios. Trabalhe, estude e foque na sua vida pessoal e profissional.

 

Campanha do Bem Falar

Como vencer o desejo de fofocar e de falar mal de alguém, se este hábito já está tão arraigado na conduta dos capoeiras?

Simples: deu vontade de falar de alguém? FALE BEM!

Ao repetir um hábito negativo, ficamos negativos e ao repetir um hábito positivo, ficamos positivos.

Para mudar a programação mental basta iniciar a tomada de ação.

Participe da campanha #CAPOEIRAFALABEM

Está bombando a campanha #capoeirafalabem no Facebook, no Instagram e no zap. Participe!

Durante 7 dias, você pode falar bem de 7 capoeiristas em suas redes sociais! Procure escolher pessoas diferentes de você, mas que merecem sua admiração.

Pense em pessoas da sua geração, da sua região.

Tente falar bem de gente com quem você não tem contato, gente de estilo de Capoeira diferente do seu, gente com quem você divide o mercado de trabalho. Falando bem do outro você está falando bem da sua arte também!

Seja um exemplo da mudança que você quer ver no mundo.

Incentive seus amigos a participarem e façamos a maré subir!

Procure no facebook e veja como está a campanha #capoeirafalabem

Axé!

Ferradura

PS – Assista o vídeo, comente, compartilhe, concorde ou discorde e marque os amigos que precisam ouvir o que foi falado aqui, mas não fofoque ;)!

[:en]

This week a video went viral where a Capoeira Master, at a women’s event, picks up a female Capoeirista and kisses her on the butt cheek. After putting her down, she elbows and then slaps him, where he then immediately retaliates with a kick that sends her flying. All of the elements for a fantastic story are there: public exhibition of the female body, violence for the spectator, cowardice and fertile ground for the most preferred sport of national tabloids: gossip. It would have been really nice if any capoeirista that was present, ANY ONE, independent of gender, age or time spent in Capoeira, would have entered into the roda and shouted “Hey! Stop!” followed by: “Until we discuss and resolve what just happened here, there is no way to continue with the roda (capoeira games)!” and open a platform to debate the situation in question, exposing the ridiculousness of the inappropriate act. If the roda belongs to everyone then everyone is responsible. But that didn’t happen. That never happens. The indignation comes later, via facebook. How many times have we seen situations of oppression or violence, very similar to this one, where no one said anything? There are three things that call my attention in this roda (game):

1) The normalization of violence against women: historically women’s bodies are objectified by men, who feel they are in the right to do whatever they please and believe to be right, to the point that this particular master felt that he was in the right to kiss his opponents behind and nobody stop the roda (game) or say anything.

2) How normal has the violence within capoeira become: a roda (game) between friends where someone is picked up, an elbow is thrown, followed by a slap and a kick and no one to stop the roda (game).

3) The normalization of collective violence: a bombardment of comments that excite even more the violence that spreads like wildfire throughout facebook. We all talk a lot.

VIOLENCE

This specific master was probably invited to the event and this for sure was not the first time that he has demonstrated his “toughness” for others. Why didn’t anyone say anything? Why wasn’t the roda (game) stopped? The guy made a mistake. A really bad one. He messed up in a way that he would be sure to never make the same mistake again. Any type of violence against a woman should be reprimanded. Period. There is nothing to discuss. But hoooooww did that haaaaappen??? I have a question: is it possible that he’s soooooo different from the capoeiristas who were present? Or from the rest of us? The guy is being publicly torn apart and lynched, receiving dozens of threats from the tough guys on facebook, that sent virtual invites to visit their rodas and resolve things the violent way, like a well-known character from a brazilian TV show always says: “I will beat you up!”

In the comments you can see macho-males saying very interesting things like: “If it was my sister I would beat his ass” or “She’s someone’s girlfriend! She deserved respect.”

My friend, look at this: If beating someone up resolved the problem and taught them a lesson, jails would be full of people who have transformed their lives and changed their behavior. It’s no use teaching a lesson to the citizen who committed an act of violence with the same violent behavior.

If we keep on punishing an eye for an eye, everyone will go blind.

And no, it’s not the fact that she’s someone’s sister or girlfriend that the kiss on her butt was disrespectful, ok?! It’s disrespectful because it was an act of oppression, period.

MORALISM

 What’s curious is that all of a sudden a bunch of guardians of morality appear, all of them extremely pissed off as if this distinct person who committed the act had come from another planet or any other art form. Was he an alien practitioner of tantric yoga? No. He’s a capoeirista like many others who left their country to try their luck in foreign lands, taking with him his title of master in Capoeira and his personal experience, which is the fruit of a culture which is macho and violent. The kiss, the kick, the slap, the elbow and everything else that happened in the scene is not something that is so distant from this art or unfamiliar to us in this country. On the contrary, this scene is very common in Capoeira and in Brazil in general with varying situations. To resolve conflicts in Capoeira, chauvinism and violence are the rule, not the exception.

WHAT DO I HAVE IN COMMON WITH HIM?

A quick online search is all you have to do to see that there are many, but many of your online friends who have something in common with him on facebook. Surprised? You shouldn’t be. Know that among your friends there are misogynists, homophobes, racists and imbeciles of all types. Because we are a product of our environment that says something about us… It’s much easier to cuss out the culprit than to think about the fact that he has a mother, wife, daughter; that he has a Capoeira master; that he has students; he is another representative of capoeira in Europe, who has even appeared on Luciano Huck (look it up on Youtube)… That truthfully, he is very similar to the mirror we have at home.

I’M NOT A MALE CHAUVINIST! HE IS!

Everyone against chauvinism! Is that really the case? My friend, guardian of morality: isn’t it you who gets irritated with the way that your girlfriend dresses? Isn’t you who, every time you see a woman, feel that you have the right to catcall her? Isn’t it you that in the middle of a Capoeira event, start to flirt with girls and say inappropriate things when they have not given you the liberty to do so? Isn’t it you that goes to an event already counting down the hours to the recreation time when you’re going to try to hit on the female students? Isn’t it you that confuses the admiration a woman has for your capoeira for sexual and physical interests? Isn’t it you who are married to a female capoeirista but make it a point that everyone knows that you hook up with many other women and have many lovers? Who has never seen a master or future master be inappropriate with women whether it be in the roda (game), through comments, at the Samba or parties? The idea that a capoeirista has to get all of the girls has to do in (a big) part with our environment. Sexual harassment in Capoeira is usually swept under the rug, with women having to distance themselves while constantly being put to the test as they deflect physical attacks that are much worse outside of the roda (game) than inside. Do you think that the time has come for male capoeiristas to reflect more seriously regarding their own proper actions? Is it possible that we are so different from the aggressor in question?

SEX

A song that was taken as funny, was making the rounds until a while ago in the Capoeira rodas and you can still find it on the lyrics website:

Its called “Women For Me” and goes as “A woman for me has to maintain the profile, She has to play capoeira She has to be sexy, hot and beautiful (I said)

 

Things have gotten better with time. At least you don’t hear that type of idiocy in the majority of the rodas but sexualization continues being an integral part of our culture. For example: whenever you search the word “Capoeira” in Youtube, what is the video that has the highest number of hits? Master Bimba? Master Pastinha?

No. The first one is this one, with more than 22 million hits:

When you play the video it has nothing to do with Capoeira but everything to do with Samba. Do you think that could mean something?

The female figure is a constant topic of conversation at the bar after the rodas. “I fucked this one, I fucked that one”, “did you see that fine ass girl with her tight white capoeira pants on?” Are there gonna be a lot of women at such and such’s event?”

When women complain about chauvinism they are seen as being dramatic or just being difficult.

In this environment an individual feels the freedom to kiss his opponent’s butt in the roda (game) just like another feels the freedom to call her “seeeeeexy” on the corner or send the classic “Girl, I’ll suck you from head to toe” in the middle of the street.

VIOLENCE

Continuing with Youtube searches, we come across these types of videos.

Those that have more than 2 million views in one year don’t say something about us spectators? The things that we value?

Now, whenever there’s a capoeirista knocking out an adolescent or kicking a woman in an event, pacifists sprout from all around.

My pacifist friend: isn’t it you who thinks it’s cool to tattoo the forehead of a bicycle thief? Isn’t it you that says that “the only good type of thief is a dead thief?” That prefers to have a dead son over a gay son? That encourages your students to kick without any control, slap someone in the face and incorporate wrestling takedowns? Isn’t it you that whenever someone hurts themselves in the roda (game), is the first one to say: “You were weak! If you had been training more that wouldn’t happen.”

Isn’t it you that encourages a strong breed of Capoeira, “warriors”, ready for anything?

Using a little more common sense is good for everyone: no one should ever be lifted up into the air in a Capoeira roda, smack or elbow someone and much less kick the ribcage of someone who is half your weight. Kissing someone’s ass is just another surreal act in a festival of anomalies, that far from being alien, say a lot about ourselves.

The photo below was taken from a real case that happened a couple of weeks ago in Brazil, where a thief was tatooed “I’m an idiot thief” on his forehead.

If we begin to tattoo the foreheads of every single error and lack of judgement made in Capoeira there will be a shortage of foreheads and ink.

GOSSIP

Hundreds of interesting videos and articles are posted daily regarding culture, politics, the body and other topics very interesting to Capoeira. However, scandalous videos and gossip are much more popular. It’s enough to just post something like: “there’s a lot of capoeiristas buying their master tittle” or “look at such and such’s work with capoeira: that’s not capoeira!” so that they can gain notoriety from the gossip.

Who has never seen a master who spends the majority of their time speaking badly about other’s work? That’s the gossip culture, but that’s a topic for the next post! That’s all for today!

Axé! Mestre Ferradura

PS – Share and comment your ideas on this post! If you liked it or if you think that I’m just “making noise”, make sure to comment and mark your friends so that we can debate together!

Translation by Bebê CDO! Many thanks![:]

24 thoughts on “[:pb]CAPOEIRA FALA BEM?[:en]CAPOEIRA: VIOLENCE, SEX AND GOSSIP[:]

  1. Lindo texto! A capoeira é um organismo vivo e assim está em constante transformação. Merece evoluir através da consciência de cada um. O que é bom preservamos, e se necessário, melhoramos. Agora, o que não serve, precisamos transformar. A luta é de resistência ao sistema opressor e em busca da libertação do nosso povo. Chega de brigas infrutíferas dentro da nossa casa. União e atitudes positivas devem ser reforçadas. Axé!

  2. “procure olhar para dentro do seu coração, da sua alma e do seu bolso. São três lugares que você não quer vazios.” Faz toda diferença.
    O texto nos faz refletir sobre a vida, infelizmente em outras áreas acontece o mesmo.

  3. Muito produtivo este artigo, com certeza podemos ser vigilantes e fazer nosso melhor sempre, mais um aprendizado.
    Julio Compositor – Manaus/AM

  4. Ótima atitude, as vezes não percebemos que estamos questionando alguém ou falando do trabalho de outros profissionais, a comunidade capoeirista necessita de profissionais da área com essa visão fazendo assim com que os capoeiristas reflitam sobre suas atitudes e possam se tornar profissionais de excelência sempre em busca do conhecimento. Forte abraço!!!

  5. Parabéns Mestre Bela iniciativa, eu posso dizer que sou a prova viva. Pois tive que me afastar de um Grupo por causa da fofoca que gerou uma traição. E vejo que a Capoeira é maior muito maior que isso…
    Então vou seguir em frente lutando pela boa capoeira…
    E que juntos vamos mudar e seremos mais fortes…
    Do que a fofoca.

  6. Muito bom! Obrigado para dar essa forca positiva. Com essa atitude a Capoeira vai se desenvolver ainda mais! Obrigado por seu trabalho. Vou continuar compartilhar seus ensaios com minha galera!

  7. O bem com o bem se paga outra paga o bem não têm. Podemos transformar para melhor a nossa cultura, a nossa vida trazendo para nós mais harmonia com palavras e atitudes positivas.O mau vai desaparecendo quando não alimentado.Parabéns Mestre Ferradura vou aderir a este movimento inteligente. Sejamos felizes!

  8. Ótimo texto!!! É muito bom saber que ainda existe pessoas de bom caráter e principalmente de boa índole.
    A capoeira é mãe, e nós somos irmãos… Não podemos e nem devemos falar mal da nossa família…
    Um forte abraço, axé!!!

  9. Essas iniciativas que devem ser tomadas para que nossa Cultura ao invés de se enforcar falando mal um do outro que ajude a crescer ,é facilmente que moro em SP falar mal de quem mora em Pernambuco,então achei uma ideia muito inovadora tanto para capoeira ,educação que está escassa e para sua vida e ego.IVAN MARÉ

  10. Bom, gostaria de falar de um projeto idealizado e posto em pratica pelo Mestre Santana de São Paulo, a PREVCAPI, Previdência do Capoeirista Integralizada, onde com esse projeto o Mestre e todo capoeirista faz uma contribuição de R$ 10,00 e assim poder dar a um Mestre Antigo uma ajuda de custo vitalicia. e os capoeiras que fazem parte da PREVCAPI tem um seguro de vida em grupo, auxilio funeral e um auxilio acidente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *